NOTÍCIAS DA LUSOFONIA

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

ADEMAR MACEDO ENVIA-ME "M E N S A G E N S P O É T I C A S"

Uma Trova Nacional
Saudade, flor que se dá
ao cemitério tristonho,
que tristeza é enfeitar
a sepultura de um sonho.
Arlene Lima/PR
Uma Trova Potiguar
Quando a noite vai embora,
a aurora vem, de mansinho,
despertando fauna e flora
na mata e no ribeirinho.
–Marcos Medeiros/RN–
Uma Trova Premiada
2010 - Curitiba/PR
Tema - IMAGEM - M/H
Quem pratica a temperança
e cultiva o dom do amor
tem, na imagem, semelhança
com  seu próprio Criador.
–Nei Garcez/PR– 
Uma Trova de Ademar
Para o pobre interagir,
Deus lhe deu, para viver:
uma boca p’ra pedir...
duas mãos p’ra receber!...
–Ademar Macedo/RN–
...E Suas Trovas Ficaram
Parti, lutei vida afora,
foi longo o tempo de ausência...
Mas volto a abraçar-te agora,
meu berço, minha querência!
–Manita/RJ– 
Simplesmente Poesia
FOTO FACTUAL 
Frequentemente me perco,
entre a insatisfação contida
de um povo
e a volúpia irreprimida
da indignação.
Faço uma fotografia digital,
que revela o olhar adormecido
de um fato social,
escondido nos porões do esquecimento
e da miséria.
Lá a dor se pode suportar,
a fome deve esperar
e a vida resseca
e se aguenta
na soleira escaldante
o ano inteiro.

–Diulinda Garcia/RN–
Estrofe do Dia
Eu criei meu zebu com muito gosto
Na ração dei capim, melaço e sal
De manhã ao levá-lo ao matagal
Eu sentia correr suor do rosto,
Ao buscá-lo, à tardinha, o sol já posto
Muito alegre encontrava o meu tesouro
E pra mim bem pior que algum estouro
Foi levá-lo pro fim dessa jornada
Como é triste a imagem da boiada,
Quando segue em destino ao matadouro.
–Ismael Gaião/PB–
Soneto do Dia
AO SEMEADOR
Encontre-se entre os frutos uma oliva
e ao menos uma rosa nos florais.
Se a fortuna vos falha, por esquiva,
plantai de novo, e sempre, e muito mais.

Segui, juncando a orla dos caminhos
de roseiras sem conta e de olivais.
Sangrar-vos-eis, de certo, nos espinhos,
certo, vos queimarão sois estivais.

Vezes a praga e os pássaros daninhos
perderão a colheita, ou a primitiva
semente esconderão os chãos maninhos.

Árdua é a tarefa. Embora! A alternativa
de servir os passantes e os vizinhos,
compensa o dissabor e em paz deriva.

–João Justiniano da Fonseca/BA–

2 comentários:

  1. Olá Ceicinha, recebi o seu gentil recado e fico feliz que tenha lembrado de mim na sua passagem aqui pelo Seridó. Quero desejar um Feliz Natal e que seu novo ano seja repleto de Felicidades com muitas realizações. Abraço carinhosos pra vc!

    ResponderExcluir
  2. CONVITE

    Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
    Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, leve e dinamico. palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
    Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
    Abraços do
    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderExcluir

Seu comentário será bem vindo!